0

o que se passa?

nesta cama

vasto espaço

passam horas

vasto tempo

passa o filme

(me acalenta?)

preciso sonhar

passo assim por você

deixo contigo as palavras

caminhar, pensar

(preciso sonhar)

o que se passa?

Anúncios
3

sei sim!

Não sei … se a vida é curta
ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita.

Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
não seja curta,
nem longa demais
Mas que seja intensa
Verdadeira, pura …
Enquanto durar.¸.•´¨♥¸
Cora Coralina

1

cuca bacana

cucabacana

Sítio delicioso para os amantes da literatura infantil, o “Livros para uma cuca bacana“, anexo do sítio da Revista CRESCER apresenta as novidades, consagra os já tão amados books e conversa com os responsáveis pela existência deste universo colorido, feliz e intrigante que é a literatura da primeira infância. Vale muitas visitas sempre!

1

Conto de fadas by web

Marcelo enviou um MSN, Mallu não respondeu. Marcelo achou ainda mais interessante a menina que ele conheceu em vídeos online no myspace e insistiu enviando um email com uma música que ele fez para ela. Um encontro especial, bonito que aconteceu aqui na internet.
O uso consciente da web como ferramenta dá amplidão ao que já tem potencial para acontecer. Ave Web!
Marcelo (o Camelo) conta mais sobre este bonito encontro com Mallu (a Magalhães) aqui. Abaixo, a tal música com um vídeozim para compartilhar a beleza deste encontro. A beleza possível do reino internet.

Janta (Marcelo Camelo)

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade

Eu quis te convencer mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade

Paper clips and crayons in my bed
Everybody thinks that i’m sad
I’ll take a ride in melodies and bees and birds
Will hear my words
Will be both us and you and them together

Cause i can forget about myself, trying to be everybody else
I feel allright that we can go away
And please my day
I let you stay with me if you surrender

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
(I can forget about myself trying to be everybody else)
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
(I feel all right that we can go away)
Pode ser a eternidade má
(And please my Day)
Eu ando sempre pra sentir vontade.
(I’ll let you stay with me if you surrender)

0

palavra balada

 

baladavirtual_logo.gif

E já começou. O projeto balada literária número zero leva o primeiro tapinha na bunda e gera seus primeiros urros e sopros de vida agora, na Mercearia São Pedro. De lá, parte para o Ó do Borogodó (essa devo acompanhar de perto).

Amanhã o projeto acorda cedo para as 10h, na Livraria da Vila com presença de Glauco Mattoso entre outros iniciar o bate-papo direto que vai até o próximo dia 24.

Bons momentos para vivermos o ‘além dos livros e suas citações’. Pesquisas teóricas diárias não são suficientes para alimentar por completo a arte da palavra nem a arte da vida. É inevitável viver! Viver para ler e escrever . E vice-versa. Versa?