0

Perigas correr: música, família e alternativas

Sou aquariana, ser do diferente e surpreendente. Vivo com agruras o que é rotineiro e preciso me permitir sair da mesmice. A maternagem me trouxe, claro, esta necessidade de seguir certas regras, me responsabilizar por uma rotina saudável, mas minha loucura permanece viva e deixo-a viver. No último sábado, por exemplo, dei um grito de férias (que me permite por quinze dias viver liberta da rotina corrida do ano letivo), junto ao meu irmão mais novo (com quem há muito não saía assim de rolê, só os dois) no show do Tatá Aeroplano (que conhecemos eu e o Dica há anos atrás quando trabalhamos numa agência de publicidade social), o cara daquela banda Jumbo Electro, agora em vôo solo. Foi muito bacana curtir a música de Tatá, as parcerias musicais daquela noite. Para quem gosta de música para viajar, recomendo. Quem não gosta pode se surpreender também. Abaixo meus registros do show.

Este slideshow necessita de JavaScript.

PS¹: Ao término do show do Tatá ainda acompanhamos do “aquário” do SESC Belenzinho o final do show do Frejat

PS²: Hoje também tem show do Tatá, free no MIS. Corre que dá tempo!

https://www.facebook.com/events/395272667261141/?ref=25

Anúncios
0

na sociedade que destrói raízes

antajoanaracista

Daí você acorda numa quinta-feira de férias, toma café com seu filho que acabado de acordar apresenta aqueles cachos displicentes encantadores, organiza a casa para garantir um dia bacana e então senta-se para verificar as novidades online. Uma pontinha de mau-humor invade teu lado ativista materna ao saber que o protagonismo da mulher no parto está sendo novamente atacado por estas instituições de saúde que mais parecem instituições hoteleiras. Começa a acompanhar o movimento em torno do ataque e o queixo cai quando alguém comenta de uma postagem racista na página de uma maternidade queridinha do glamour intervencionista paulistano. Hein?! Não pode ser. Vamos lá conferir. O queixo tomba e o café da manhã ameaça voltar e emporcalhar meu teclado. Nojo. O nojo e o repúdio leva com força meu dedo do meio à tecla “printscreen”, de lá, todos meus dedos se fortalecem e partem para uso dos editores gráficos. Pronta a imagem de repúdio acima, compartilho no meu mural e no mural da página nojenta, que lógico, excluiu e me bloqueou. Me senti bem de ser bloqueada por uma página que me causa nojo e horror. A imagem acima, nestes 3 dias, foi compartilhada 586 vezes. A maternidade nauseante diz que o que houve foi má interpretação de quem leu o post, mas deletou o mesmo, claro! Porém todos os veículos da imprensa que publicaram o caso (confira os links no final do post) grifou a frase que abria o texto no blog:

“Muitas crianças nascem com os cabelos crespos ou rebeldes demais. Com a adesão cada vez maior às técnicas de alisamento, algumas mães recorrem a essas alternativas para deixarem as crianças mais bonitas”

Dá para interpretar isso como não sendo incentivo a práticas racistas?

Passei anos sem aceitar meu cabelo por conta de afirmações como esta veiculada pela Maternidade Santa Joana. Hoje sou uma mulher muito mais feliz com um cabelo volumoso que exibe toda a beleza imponente e ancestral da África. Não admito que este tipo de propaganda circule impune por aí para detonar a identidade e a confiança de crianças, incluindo aí meu Caetano que diz prá todo mundo por aí:

“Eu sou preto!”

e quando alguma pessoa se espanta com a afirmação, responde:

“Sou preto e branco… Sou preto sim, olha meu cabelo!”

mais sobre o caso:

G1

UOL

ESTADÃO

TERRA

FOLHA SP

BAND

0

Criando…

Fico “bolada” com quem diz que redes sociais são apenas perda de tempo. Acho que isso depende muito das suas escolhas nas redes, assim como na vida. O recheio que escolho para minha TL inclui afetos, política, cultura, arte, criatividade e humor (com o devido respeito e inteligência, claro!). Nessas, estou na rede e de repente isso traz ganhos à minha vida. Foi o que aconteceu ontem. Vi uma imagem de um quarto numa página criativa chamada Decoração Criativa. A idéia original despertou outra na minha cabeça; peguei uma caixa de papelão, um tecido, um brinquedo e em 20 minutos o cantinho de dormir da minha cria ganhou mais arte!   E ele curtiu! rs…

Este slideshow necessita de JavaScript.

0

E o ano começa começaaaaandoooo!

Percebi a falta de uma mensagem que recebi e também da resposta que havia enviado à mesma ontem, por volta das 15h. Busquei na lixeira da conta gmail, spam…Enfim, fiz busca em cache…Nada. Fiquei intrigada, pois uso o Gmail há 7 anos e nunca tinha visto acontecer isso. Conversando com o amigo Palmieri no facebook, ele indicou o local onde encontrar as atividades recentes da conta gmail. Fui e descobri: realmente, alguém entrou na minha conta. Pelo IP verifiquei que o acesso foi feito em Guararema. E só. Agora estou num processo de abandonar minha conta de email que tive por 7 anos.

That’s all, folks!

Feliz 2013 prá vocês também!!!

invas

0

Boa Sorte

Vanessa da Mata

É só isso
Não tem mais jeito
Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer
São só palavras
E o que eu sinto
Não mudará

Tudo o que quer me dar
É demais
É pesado
Não há paz

Tudo o que quer de mim
Irreais
Expectativas
Desleais

That’s it
There’s no way
It’s over, good luck

I’ve nothing left to say
It’s only words
And what l feel
Won’t change

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It’s too much
É pesado / It’s heavy
Não há paz / There is no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais / Isn’t real
Expectativas / Expectations
Desleais

Mesmo se segure
Quero que se cure
Dessa pessoa
Que o aconselha

Há um desencontro
Veja por esse ponto
Há tantas pessoas especiais

Now even if you hold yourself
I want you to get cured
From this person
Who advises you

There is a disconnection
See through this point of view
There are so many special
People in the world
So many special
People in the world
In the world
All you want
All you want

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It’s too much
É pesado / It’s heavy
Não há paz / There’s no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais / Isn’t real
Expectativas / That expectations
Desleais

Now we’re falling
Falling, falling
Falling into the night
Into the night
Falling, falling, falling
Falling into the night

Now we’re falling
Falling, falling
Falling into the night
Into the night
Falling, falling, falling
Falling into the night